O que é Dermatite Atópica ou Eczema Atópico?

É uma doença crônica que causa inflamação na pele levando aparecimento de lesões e coceira principalmente em dobras do cotovelo, do joelho.

 

É doença genética? É contagiosa?

A Dermatite Atópica tem nítido caráter hereditário, não é contagiosa. Geralmente afeta pessoas com história pessoal e familiar de Asma, Rinite Alérgica ou Dermatite Atópica que são chamadas doenças atópicas ou a tríade atópica.

 

É prevalente?

Acomete mais do que 4% dos indivíduos adultos e 10% das crianças, sendo que metade dessa população pediátrica persiste com doença cutânea até a fase adulta.

Da mesma forma que as outras doenças atópicas, a prevalência da Dermatite Atópica  aumentou nas últimas  três décadas com uma distribuição predominante em lactentes, haja vista que 60% dos casos ocorrem no primeiro ano de vida

No Brasil, a prevalência média de eczema flexural foi 6,8% para os escolares, e 4,7% para os adolescentes. Em todas as localidades a prevalência de DA foi maior entre os escolares.

 

É uma doença de criança?

É uma doença característica da infância, 85% apresentam manifestações iniciais nos primeiros 5 anos de vida. Cerca de 40% mantém os sintomas ao longo da vida adulta.

 

Existe alguma relação com Asma e Rinite?

Em geral, a Dermatite Atópica precede a asma e a rinite, e a prevalência de alergias respiratórias é muito maior entre os pacientes que apresentam ou apresentaram Dermatite Atópica, chegando a 45%.

 

Quais os fatores desencadeantes ou exacerbadores mais importantes para Dermatite Atópica?

Alérgenos Alimentares- a prevalência de alergia alimentar em cerca de 30% de crianças com Dermatite Atópica moderada e grave, principalmente lactentes, e que não respondem ao tratamento habitual. Os principais alérgenos envolvidos para a maioria dos pacientes são clara de ovo, leite de vaca e trigo, e, segundo alguns autores, a clara de ovo é o alimento mais implicado como desencadeante de DA

 

Alérgenos Ambientais: As observações clínicas e os estudos experimentais indicam que os aeroalérgenos são fatores desencadeantes relevantes em pacientes com Dermatite Atópica. 30 a 50% dos pacientes apresentam positividade no Teste de Contato para ácaros  A inalação de alérgenos exacerba as lesões da Dermatite Atópica , e as queixas dos pacientes com Dermatite Atópica diminuem nos ambientes em que haja redução do nível de ácaros da poeira, revelando a importância dos alérgenos inalantes. Os aeroalérgenos mais comumente relacionados à DA são derivados de ácaros da espécie Dermatophagoides pteronyssinus e D. farinae. Também a exposição ao mofo em ambiente úmido foi associada a aumento do risco de eczema. Em pacientes com DA, quando associada à alergia respiratória é comum encontrarmos a sensibilização a aeroalérgenos (ácaros da poeira domiciliar, epitélio e descamações de animais [gato, cão e outros animais de estimação], baratas, fungos, e mais raramente polens.

 

Agentes Infecciosos: Nos pacientes com DA,  as infecções representam a principal complicação, com frequência maior do que na população geral.

Staphylococcus aureus coloniza entre 5% e 30% da população geral e mais de 90% dos pacientes com DA, e podem exacerbar ou manter a doença

Fungos também atuam como fatores desencadeantes de DA, principalmente os do gênero Malassezia.

 

Fatores Emocionais- 40 a 70% dos pacientes

Geralmente piora como o calor e outros fatores irritativos.

 

Quais são os sinais ou sintomas mais importantes?

Pele seca, coceira na pele, lesões em face, pescoço, em dobras do cotovelo e do joelho, pulsos e tornozelos, em mamilo, em nádegas, mãos, pés, pálpebras dependendo da faixa etária. As infecções na pele são  freqüentes.


Como se faz o diagnóstico?

O diagnóstico de DA é clínico e baseado na história completa e detalhada e nos sinais observados no exame físico.

O teste cutâneo de leitura imediata ou Prick test é método simples, fácil, rápido e barato de identificar anticorpos da classe IgE e pode ser utilizado em todos os pacientes, sem restrição de idade. Esse teste com aeroalérgenos e alérgenos alimentares são normalmente utilizados como testes de primeira linha na detecção de IgE específica para determinar o envolvimento destes agentes no desencadeamento do sintoma.

O Teste de Contato para Atopia ou Patch Test para aeroalérgenos e alimentos é procedimento novo para a identificação de alérgenos provocadores de lesões  nos pacientes com DA. Podem ser utilizados alérgenos de ácaros, de animais, de fungos, de polens, e de alimentos.

Existem outros exames complementares que serão solicitados pelo Especialista em Alergia quando forem necessários

 

Qual é o tratamento para Dermatite Atópica?

O tratamento se baseia principalmente em hidratar a pele com emolientes, evitar uso excessivo de sabonetes e de água quente e com muito cloro, controlar a inflamação, a coceira e a infecção com  medicamentos, eliminar fatores desencadeantes e irritativos (roupas, sabonetes), controle aos aeroalérgenos (ácaros, fungos,cão, gato, barata, pólen) e aos alérgenos alimentares (quando associados), além de Imunoterapia (vacina de alergia) e psicoterapia, quando forem  necessárias.

CONTROLE AMBIENTAL

  • Evitar ter em casa tapetes, carpetes, cortinas, almofadas, bichos de pelúcia e móveis estofados;
  • Revestir colchões e travesseiros com material sintético impermeável;
  • Usar colcha de algodão, pique ou ededrom. Não usar cobertores de lã ou chenile;
  • As orientações acima se aplicam as demais camas do quarto;
  • As paredes de casa deverão ter pintura lavável;
  • Limpar a casa diariamente, principalmente os quartos, com pano úmido e aspirador de pó. Não usar vassouras, panos secos e espanadores.
  • Não usar umidificadores e vaporizadores por estimularem o crescimento de ácaros e fungos.
  • Evitar animais de penas e pêlos dentro de casa.
  • Não utilizar inseticidas, espirais contra insetos, desodorantes ambientais e outras substâncias com cheiro ativo.
  • Não fumar dentro de casa e nem na presença do paciente;
  • Ter vida ao ar livre e praticar esportes.

 

Autora: Dra. Marta de Fátima Rodrigues da Cunha Guidacci CRM: 7.600-DF

 

Referências Bibliográficas:

1-Eichenfield LF. Ahluwalia J et al,  Current guidelines for the evaluation and

management of atopic dermatitis: A comparison of

the Joint Task Force Practice Parameter and American Academy of Dermatology guidelines J Allergy Clin Immunol 2017;139:S49-57.

2- Antunes AA, Solé D et al. Guia prático de atualização em dermatite atópica -Posicionamento conjunto da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia e da Sociedade Brasileira de Pediatria Arq Asma Alerg Imunol – Vol. 1. N° 2, 2017