O que é a Coqueluche ou Pertussis? Como é transmitida?

A coqueluche, também conhecida como tosse comprida, é uma doença infecciosa, causada pela bactéria Bordetella pertussis altamente contagiosa que compromete o aparelho respiratório e se caracteriza por ataques de tosse seca. É transmitida por tosse, espirro ou fala de uma pessoa contaminada. Crianças com menos de seis meses estão vulneráveis, pois não completaram o esquema primário de vacinação, podem apresentar forma mais grave da doença  e irem ao óbito.

 

  • A coqueluche ainda não foi erradicada?

As campanhas de vacinação tiveram e ainda têm um papel muito importante na prevenção desta doença, no entanto, já se percebe que ela está re-emergindo e continua sendo um grande problema de saúde pública em todas as idades, raças e classes econômicas. Adolescentes e adultos são as principais fontes de transmissão da doença para os bebês. Os adultos mesmo infectados podem não apresentar sintomas ou tosse prolongada que pode complicar com Pneumonia, Otite média, fraturas de costelas, perda de consciência e incontinência urinária. Os idosos são os que mais padecem e as complicações podem ser fatais.

 

  • Temos informações no Brasil sobre o número de casos desta doença?

No Brasil, a tosse comprida é subdiagnosticada. Por ter como principal sintoma a tosse, podem existir casos em que seja confundida com outras doenças.

  • Coqueluche é uma doença que desde 2011 sua incidência vem aumentando no Brasil e de alta gravidade para o bebê.
  • Em mais de 75% dos casos, os contactantes residem com o infectado. Os profissionais de saúde também representam fonte considerável de transmissão da coqueluche para o recém nascido.

  • Em que esta tosse se diferencia de outros tipos de tosse?

Essa é uma tosse peculiar, que soa como um guincho, como se o paciente apresentasse dificuldade para respirar, frequentemente acompanhado por vômitos, cianose e apnéia. A tosse pode persistir por 2 meses. O paciente também pode apresentar tosse sem esse som tão característico. Na dúvida, consulte seu médico e não utilize medicamentos como antitussígenos, antibióticos ou anti-inflamatórios sem prescrição médica.

 

  • Um bebê pode apresentar coqueluche?

Sim, pode. Crianças menores de 1 ano de idade são as de maior risco para complicações e morte.  Por este motivo tanto a Sociedade Brasileira de Pediatria, como Sociedade Brasileira de Imunizações e muitas sociedades internacionais recomendam imunizações contra esta doença nos primeiros anos de vida e vacinação dos contactantes (pais, irmãos, avós, babás e profissionais de saúde);

 

  • Meu filho prematuro pode pegar coqueluche? Infelizmente pode. Nas crianças menores essa doença tende a ser um pouco mais delicada. O ideal é seguir a risca todas as orientações médicas.

 

 Como posso me proteger contra essa doença?

 

  

A melhor forma de prevenção é com  a vacinação.

 Clique aqui e veja as Vacinas combinadas

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

AUTORIA:

 

REVISÃO BIBLIOGRÁFICA REALIZADA POR: ENFERMEIRA ROSEVANE RODRIGUES DE LUCENA COREN – DF 176706

 Revisado por: Dra. Marta de Fátima Rodrigues da Cunha Guidacci-CRM: 7.600-DF

Manual Prático de Imunizações – Isabella Ballalai- 2ª edição- 2016