A Febre Amarela é uma doença infecciosa viral aguda causada por um arbovírus que pode ser apresentada de formas clínicas variáveis. Letalidade no Brasíl é cerca de 50%. É endêmica na África e nas matas da América do Sul.

Quais são as formas de transmissão? Nas Américas, a febre amarela é considerada urbana, quando a transmissão do vírus se dá pelo mosquito da espécie Aedes aegypti, o mesmo da Dengue.fato que não ocorre no Brasil desde a primeira metade do século passado. Na América do Sul, incluindo o Brasil, atualmente, é transmitido por mosquito silvestre. Nas áreas silvestres, o vírus também é encontrado em macacos, seus hospedeiros intermediários — ao picar o animal, o mosquito é contaminado e passa a infectar humano.

 

      Quais são os sintomas da doença?

Febre alta, mal-estar, dor de cabeça, dor muscular muito forte, cansaço, calafrios,  náuseas,vômito e por vezes, diarréia. Esse quadro corresponde as formas leves e moderadas e representa cerca de  85% dos casos. Cerca de 15% das pessoas que apresentam sintomas evoluem para  forma graveque tem alta letalidade. Em geral, um ou dois dias após um período de aparente melhora (que pode não existir) há exacerbação dos sintomas. A febre reaparece e a pessoa então passa a apresenta dor abdominal, diarréia e vômitos. Os vômitos e as fezes podem ser hemorrágicos (“negros”). Surgem  icterícia (olhos amarelados, semelhante à hepatite) e  manifestações hemorrágicas (equimoses, sangramentos no nariz e gengivas) e ocorre funcionamento inadequado de órgãos vitais como fígado e rins. Como conseqüência, pode haver diminuição do volume urinário até a anúria total e coma. A evolução para a morte pode ocorrer em até 50% das formas graves, mesmo nas melhores condições de assistência médica. As pessoas que sobrevivem, recuperam-se totalmente.

Qual o período de incubação da doença?

O período de incubação é de três a seis dias após a picada do mosquito transmissor infectado.

 

Apesar da maior parte do Brasil ser considerada de risco e com indicação de vacinação rotineira, a transmissão urbana da febre amarela desapareceu em 1942. Desde então, todos os casos da doença são de pessoas infectadas em zonas rurais e de matas.

Entre 2000 e 2008 ocorreram surtos de febre amarela e observou-se uma expansão da circulação do vírus em áreas rurais de vários estados, o que apontou para a necessidade de vigilância constante e revisão das medidas de controle e prevenção. Então, o Ministério da Saúde redefiniu o país em duas áreas: com recomendação de vacina e sem recomendação de vacina. Na prática, isso significa que todas as pessoas que vivem nas áreas com recomendação devem ser vacinadas a partir dos 9 meses de vida. O mesmo vale para os viajantes que se deslocam para essas áreas.

Em 2017, como estratégia para frear um grande surto de febre amarela silvestre, a vacinação passou a ser recomendada em todo o estado do Rio de Janeiro. Além disso, foram estipuladas áreas com recomendação temporária de vacinação em municípios do Espírito Santo e da Bahia. Com isto, das 27 unidades da federação, apenas seis (AL, CE, PB, PE, RN, SE) continuam sem municípios na lista de recomendação.

 

 

 

 

.

 Como posso me prevenir?

A melhor maneira de prevenção é através da  Vacina contra Febre Amarela (clique aqui)

  • OBS: IMAGENS RETIRADAS DO GOOGLE – IMAGENS NA WEB.

Bibliografia:

Ballalai,I; Manual Prático de Imunizações 2ª Edição, 2016

http://familia.sbim.org.br/doencas

Saiba mais:

http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/o-ministerio/principal/leia-mais-o-ministerio/619-secretaria-svs/l1-svs/27300-febre-amarela-informacao-e-orientacao

http://portalsaude.saude.gov.br/index.php/situacao-epidemiologica-dados-febreamarela

 

Autoria:

Dra. Marta de Fátima Rodrigues da Cunha Guidacci- CRM: 7.600-DF