VACINA ROTAVÍRUS, VIVO, ORAL, PENTAVALENTE

  

Para quem está indicada a vacina Rotavírus pentavalente?

Está indicada para a prevenção de gastroenterite, que é uma infecção que atinge o sistema gastrointestinal ocasionando sinais e sintomas como diarreias, cólicas intestinais e vômitos por Rotavírus em bebês e crianças, causados pelos sorotipos G1, G2, G3, G4 e sorotipo G que contenham P1A [8] (como G9). A vacina quando administrada em uma série de três doses para bebês entre 6 a 32 semanas de idade, sendo que a primeira dose deve ser administrada entre 6 e 12 semanas.

 

A vacina Rotavírus pentavalente  pode ser aplicada com outras vacinas?

Pode ser administrada com a vacina tríplice acelular (DPTa), vacina inativada ou poliovírus oral (IPV ou OPV), vacina conjugada contra Haemophilus influenzae tipo b, vacina contra Hepatite B, vacina conjugada pneumocócica e com vacinas hexavalentes.

 

Quantas doses deverão ser aplicadas com a vacina Rotavírus pentavalente?

A série de vacinação consiste em três doses líquidas da vacina contra Rotavírus. A primeira dose da vacina contra Rotavírus deve ser administrada por via oral, iniciando-se a partir de 6 semanas  de vida e no máximo até 3 meses e 15 dias,  com administração das doses subsequentes em intervalos de 4 a 10 semanas. A terceira dose não deve ser dada após 7 meses e 29 dias.

 

Qual é o intervalo mínimo entre as doses da vacina Rotavírus pentavalente?

Intervalo mínimo de 4 semanas entre cada dose.

 

Quais são os efeitos colaterais mais comuns da vacina Rotavírus pentavalente?

A vacina geralmente é bem tolerada. As reações mais comuns são: vômitos, diarreia, irritabilidade, nasofaringite, otite média.

 

Quais são as contraindicações da vacina Rotavírus pentavalente?

-Hipersensibilidade a qualquer componente da vacina.

– Se suspeitar de imunodeficiência ou RN cuja mãe fizer uso de Biológicos durante a gestação, a vacina poderá ser contraindicada e seu uso deverá ser avaliado pelo médico.

 

O que fazer se a criança cuspir ou regurgitar ou vomitar após vacina?

Não repetir a dose.

Recomendações da SBIM (Sociedade Brasileira de Imunização):

As vacinas contra infecções por Rotavírus licenciadas para uso no Brasil devem ser indicadas o mais precocemente possível, a partir de seis semanas de idade. A vacina monovalente está disponível na rede pública de saúde, no esquema: primeira dose iniciando a partir de 6 semanas  de vida e no máximo até 3 meses e 15 dias,  com administração da dose subsequente ao intervalo de 4 a 10 semanas. A segunda dose não deve ser dada após 7 meses e 29 dias.

A vacina pentavalente está disponível apenas na rede privada, com esquema de três doses.

 

 

  • Lembre-se:

A melhor prevenção é a vacinação.

 

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

  • BULA DA VACINADA VACINA CONTRA ROTAVÍRUS (LABORATÓRIO MSD);
  • MANUAL DE IMUNIZAÇÕES, (CENTRO DE IMUNIZAÇÕES HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEN) 4º EDIÇÃO;
  • GUIA PRÁTICO DE VACINAS E VACINAÇÃO DA SANOFI PASTEUR, EDIÇÃO ESPECIAL 2009;
  • SITE: http://www.cve.saude.sp.gov.br
  • SITE: http://www.merck.com/
  • SITE: http://portal.saude.gov.br
  • FOLDERS INFORMATIVOS DA VACINA CONTRA ROTAVÍRUS PENTAVALENTE.
  • MONOGRAFIA DA VACINA PENTAVALENTE CONTRA O ROTAVÍRUS.
  • OBS: IMAGENS RETIRADAS DO GOOGLE – IMAGENS NA WEB.

 

AUTORIA:

REVISÃO BIBLIOGRÁFICA REALIZADA POR: ENFERMEIRA ROSEVANE RODRIGUES DE LUCENA COREN – DF 176706

Revisado por: Dra. Marta de Fátima Rodrigues da Cunha Guidacci-CRM: 7.600-DF