• O que a Vacina da Gripe previne?

Infecção pelo vírus Influenza (que causa a gripe) contidos nas vacinas.

 

  • Do que é feita a vacina e sua composição?

Trata-se de vacina inativada, portanto, não tem como causar a doença.

Sua formulação contém proteínas de diferentes cepas do vírus Influenza definidas ano a ano conforme orientação da Organização Mundial da Saúde (OMS), que realiza a vigilância nos hemisférios Norte e Sul. As cepas vacinais são cultivadas em ovos embrionados de galinha e, por isso, as vacinas contêm traços de proteínas do ovo.

Podem conter traços de formaldeído e antibióticos (geralmente gentamicina ou neomicina), utilizados durante a fabricação para prevenir contaminação por germes. Também contém cloreto de sódio e água para injeção.

 

  • Quais são os tipos de Vacina da Gripe?

Existe vacina trivalente, com duas cepas de vírus A e uma cepa de vírus B, e vacina quadrivalente, com duas cepas de vírus A e duas cepas de vírus B.

 

  • Quais são as diferenças entre a Vacina Monodose e Multidose?

Quando a apresentação é monodose, ou seja, em seringas prontas com doses individuais, a vacina não contém conservantes. Já a apresentação multidose, como acontece com outras vacinas, contém timerosal (derivado do mercúrio) como conservante.

 

  • Para quem a vacina da gripe está indicada?

Esta indicada para toda as pessoas a partir de 6 meses de vida, crianças , adolescentes, adultos jovens ,idosos e inclusive gestantes,principalmente aquelas de maior risco para infecções respiratórias, que podem ter complicações e a forma grave da doença.

 

  • Quais são os grupos de maior risco?
    A Gripe atinge pessoas de todas as idades, sexo ou raça. Em determinados grupos da população pode apresentar maior risco de desenvolver as formas graves e suas complicações. Até o momento, estão definidos como grupos de maior risco:
  1. a) a população indígena aldeada;
    b) as gestantes;
    c) pessoas com doenças crônicas pulmonares ou cardiovasculares, diabetes, insuficiência renal, hemoglobinopatias (p.ex:Anemia Falciforme);
    d) crianças maiores de seis meses até os cinco anos de idade.

 

  • Quantas doses da vacina da gripe eu preciso para ficar imunizada?

A vacina deve ser realizada anualmente, de preferência no período que antecede a maior circulação do vírus influenza, devendo-se utilizar a vacina preconizada pela OMS (Organização Mundial de Saúde) para o período.

Esquema vacinal de acordo com a faixa etária:

  • Crianças de 6 a 36 meses de idade: 2 doses de 0,25 ml, com um mês de intervalo (primovacinação). Se estas crianças tiverem sido vacinadas anteriormente, recomenda-se a administração de uma única dose de 0,25 ml anual;
  • Crianças de 3 a 9 anos de idade: 2 doses de 0,5 ml com um mês de intervalo (primovacinação). Se estas crianças tiverem sido vacinadas anteriormente, recomenda-se a administração de uma única dose de 0,5 ml anual.
  • Adultos e crianças a partir de 9 anos de idade: 1 dose de 0,5 ml anual.

 

  • A vacina pode ser aplicada com outras vacinas ou utilizando algum tipo de medicação?

A vacina da influenza pode ser administrada em simultaneidade a outras vacinas. Neste caso, a imunização deve ocorrer em membros distintos, com seringas e agulhas diferentes. A resposta imunológica pode ser comprometida se o paciente estiver em tratamento imunossupressor.

 

  • Quem não deve receber a vacina contra a Gripe?

A vacina de influenza está contraindicada em crianças menores de seis meses e pessoas com relatos de reação anafilática associadas a algum de seus componentes.

 

  • Quais são os cuidados antes, durante e após a vacinação:
  • Em caso de febre, deve-se adiar a vacinação até que ocorra a melhora.
  • Pessoas com história de alergia grave ao ovo de galinha, com sinais de anafilaxia, devem receber vacina em ambiente com condições de atendimento de reações anafiláticas e permanecer em observação por pelo menos 30 minutos.
  • No caso de história de síndrome de Guillain-Barré (SGB) até seis semanas após a dose anterior da vacina, recomenda-se avaliação médica criteriosa sobre o risco-benefício antes de administrar nova dose.
  • Excetuando os casos aqui citados, não são necessários cuidados especiais antes da vacinação.
  • Compressas frias aliviam a reação no local da aplicação. Em casos mais intensos pode-se usar medicação para dor, sob recomendação médica.
  • Qualquer sintoma grave e/ou inesperado após a vacinação deve ser notificado ao serviço que a realizou.
  • Sintomas de eventos adversos persistentes, que se prolongam por mais que 72 horas (dependendo do sintoma), devem ser investigados para verificação de outras causas

 

  • Posso sentir algum efeito colateral após a vacina contra a Gripe?

Os eventos mais comuns são:

  • Locais: dor, vermelhidão e endurecimento ocorrem em 15% a 20% dos vacinados. Essas reações costumam ser leves e desaparecem em até 48 horas.
  • Sistêmicas: Manifestações sistêmicas também são benignas e breves. Febre, mal-estar e dor muscular acometem 1% a 2% dos vacinados. Têm início de seis a 12 horas após a vacinação e persistem por um a dois dias, sendo mais comuns na primeira vez em que tomam a vacina. Reações anafiláticas são raríssimas.

Sabe-se que a Síndrome de Guillain-Barré (SGB) pode ocorrer por mais de um motivo, mas em raras ocasiões seu surgimento coincidiu com a aplicação de uma vacina – nesses casos, surgiu entre um dia e seis semanas após a vacinação. Com exceção de uma vacina específica para gripe suína de 1976, todos os demais estudos que buscaram relação de causa entre vacinas influenza e SGB obtiveram resultados contraditórios, alguns encontrando essa relação e outros não. Até hoje não se sabe se a vacina influenza pode de fato aumentar o risco de recorrência da SGB em indivíduos que já a tiveram. Também é importante saber que alguns vírus podem desencadear essa síndrome.

 

  • A vacina é de fato eficaz?

A vacina registra uma efetividade média maior que 90% para indivíduos imunocompetentes. A resposta máxima de anticorpos se observa entre o 14º e o 21º dia após a vacinação. A revacinação tem que ser feita anualmente nos meses de outono objetivando-se, assim, que os níveis máximos de anticorpos sejam coincidentes com os meses de inverno onde a doença é mais incidente em conseqüência da maior circulação viral.

 

  • Quais são os benefícios ao se vacinar contra a gripe? 
  • Proteção contra o vírus influenza ou gripe e contra as complicações da doença, principalmente as pneumonias bacterianas secundárias;
  • Redução do absenteísmo à escola e ao trabalho;
  • Redução do risco de transmissão de gripe para membros familiares, amigos, colegas de trabalho e pacientes hospitalizados.

 

  • Onde pode ser encontrada a Vacina da Gripe?
  • Na rede pública, a vacina trivalente está disponível para crianças de 6 meses a 5 anos de idade, gestantes, maiores de 60 anos, profissionais da Saúde, pessoas de qualquer idade com doenças crônicas (como diabetes, doenças cardíacas e respiratórias, imunocomprometidos, entre outras) e população indígena e privada de liberdade.
  • Na rede privada, as vacinas trivalente e quadrivalente estão disponíveis para pessoas a partir de 6 meses, sem restrições de idade.

 

 

Lembre-se:

 

A melhor forma de prevenção é a vacinação.

 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:

  • BULAS DAS VACINAS CONTRA INFLUENZA (H1N1 + SAZONAL) (LABORATÓRIOS: SANOFI E GSK);
  • MANUAL DE IMUNIZAÇÕES, (CENTRO DE IMUNIZAÇÕES HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEN) 4º EDIÇÃO;
  • GUIA PRÁTICO DE VACINAS E VACINAÇÃO DA SANOFI PASTEUR, EDIÇÃO ESPECIAL 2009;
  • SITE: http://portal.saude.gov.br
  • FOLDERS INFORMATIVOS DAS VACINAS CONTRA INFLUENZA (H1N1+SAZONAL).
  • MONOGRAFIA DA VACINA DA GRIPE
  • https://familia.sbim.org.br/vacinas/vacinas-disponiveis/68-vacina-gripe-influenza
  • OBS: IMAGENS RETIRADAS DO GOOGLE – IMAGENS NA WEB.

 

AUTORIA:

 

REVISÃO BIBLIOGRÁFICA REALIZADA POR: ENFERMEIRA ROSEVANE RODRIGUES DE LUCENA COREN – DF 176706

 Revisado e atualizado por: Dra. Marta de Fátima Rodrigues da Cunha Guidacci-CRM: 7.600-DF