Nossa ClinicaMundo das VacinasMundo das AlergiasMundo da AsmaCorpo ClinicoContato
 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 
   


HPV(PAPILOMA VÍRUS HUMANO)

O QUE É O HPV (Papiloma Vírus Humano)?

Existem aproximadamente 100 tipos diferentes de HPV, dos quais aproximadamente 35 tipos infectam a mucosa anogenital. 15 tipos de HPV são considerados oncogênicos, isto é, podem causar câncer.

 

FIQUE SABENDO:

 

Você sabia que é muito comum, homens e mulheres serem infectadas pelo vírus do HPV (Papiloma Vírus Humano)?

Estima-se que 50 a80% dos homens e mulheres serão infectadas por um ou mais tipos de HPV ao longo da vida. Porém, apesar desse elevado percentual, muitas das infecções são transitórias.


 

Você sabia que o câncer do colo do útero é a segunda maior causa de morte por câncer entre mulheres no mundo?

O câncer do colo do útero pode acontecer a qualquer momento em mulheres de todas as idades, sendo que o Papilomavírus Humano (HPV) é responsável por 99,7 % dos casos. A cada ano, 500.000 mulheres no mundo têm câncer do colo do útero e 250.000  morrem por causa da doença.








 


Você sabia que o vírus do HPV (Papiloma Vírus Humano) não é transmitido somente pelo ato sexual em si?

 

As preliminares também transmitem... O sexo oral, o atrito com as mucosas infectadas, da mão, da boca ou genitais, é o suficiente para o vírus fazer mais uma vítima. Basta uma a três relações sexuais sem penetração para se contaminar. Apesar de ser raro, pode ocorrer a transmissão por toalhas, roupas e superfícies como tampas de vasos sanitários contaminadas com HPV.


Por que se deve iniciar a vacinação contra o HPV (Papiloma Vírus Humano) o mais precocemente possível?

Você pode contrair o vírus do HPV em qualquer momento da sua vida, porém este risco é particularmente alto durante a adolescência.  Três em cada quatro infecções pelo papilomavírus humano ocorrem em mulheres de 15 a 24 anos de idade.


 

Homens e Mulheres que estão infectadas por algum tipo de HPV (Papilomavírus Humano) ainda podem ser vacinar?

Mesmo que você já tenha sido infectado(a) por um tipo de vírus de HPV, você pode se vacinar para obter a proteção contra os outros tipos, pois ainda existe a possibilidade de contrair caso exista o contato.


A infecção pelo HPV  (Papilomavírus Humano) tem cura?

Não existe cura. Em seus estágios iniciais, as doenças causadas pelo HPV podem ser tratadas. Mas a melhor forma de evitar o câncer do colo do útero causado pelo HPV é a prevenção.

 

 

VACINA CONTRA HPV QUADRIVALENTE E BIVALENTE:


Para quem a vacina de HPV está indicada?

Está indicada para prevenção de infecção por Papilomavírus humano. Segundo a  Sociedade Brasileira de Imunizações – SBIM, sempre que possível, deve ser aplicada preferencialmente na adolescência, antes de iniciada a vida sexual, entre 11 e 12 anos de idade.


    A ANVISA licenciou a vacina quadrivalente contra o HPV (contendo os tipos 16, 18, 6 e 11) para a proteção de meninos e meninas entre 9 e 26 anos de idade com esquema de doses 0-2-6 meses.
 A vacina quadrivalente é indicada para proteção do câncer de colo de útero, da vulva, vagina, pênis,  lesões pré-cancerosas ou displasias do colo uterino, verrugas genitais e infecções causadas pelos tipos de HPV presentes na vacina.

A vacina bivalente contra o HPV (contendo os tipos 16 e 18) para a proteção de  meninas entre 10 e 25 anos de idade com esquema de doses 0-1-6 meses. Está indicada para a proteção do câncer do colo uterino e infecções causadas pelos tipos de HPV presentes na vacina.
Em 14 de setembro de 2009, a Agência Européia de Medicamentos (EMEA) ampliou o uso da vacina quadrivalente contra o Papilomavírus Humano (HPV), para mulheres de 27 a 45 anos, com base nos resultados de eficácia clínica e segurança da vacina.
 


Quem não deve receber a vacina contra o HPV (Papiloma Vírus Humano)?

Não deve ser administrada em indivíduos com conhecida hipersensibilidade a qualquer componente da formulação e gestante.


Posso sentir algum efeito colateral após a vacina?

Os efeitos mais comuns: são náuseas, vômitos, dor abdominal, cefaléia, prurido (coceira), urticária, mialgia, febre 38ºC, dor local, vermelhidão, inchaço, fadiga.
Os efeitos incomuns: enduração local, parestesia local, tontura, infecção do trato respiratório superior.
 

A vacina é de fato eficaz?

Sim. Resultados dos estudos clínicos em mulheres de 9 a 15 anos de idade e entre 15 e 26 anos demonstraram eficácia em cerca de 99% para neoplasias intraeptelial cervical 2/3, 100% de proteção para lesões de alto grau de vagina e vulva e adenocarcinoma e 99% para lesões genitais externas.



CONHECENDO MELHOR A DOENÇA:


O que é o HPV (Papiloma Vírus Humano)?

Existem aproximadamente 100 tipos diferentes de HPV, dos quais aproximadamente 35 tipos infectam a mucosa anogenital. 15 tipos de HPV são considerados oncogênicos, isto é, podem causar câncer.



 

Como se dá a transmissão da doença?

O HPV é transmitido sexualmente. Porém, mesmo que não haja penetração, pode haver transmissão do vírus pelo simples contato pele a pele. Existe também a possibilidade de ocorrer transmissão por meio de objetos contaminados.

 

Eu posso ter o HPV (Papiloma Vírus Humano) e não manifestar os sintomas da doença?
Sim, pois o período de incubação da doença é de semanas a anos. (Como não é conhecido o tempo que o vírus pode permanecer no estado latente e quais os fatores que desencadeiam o aparecimento das lesões, não é possível estabelecer o intervalo mínimo entre a contaminação e o desenvolvimento das lesões, que pode ser de algumas semanas até anos ou décadas).

 

Quais os sintomas da doença?

A maioria das pessoas com infecção genital de HPV não sabe que está infectada. O vírus vive na pele ou membranas mucosas e geralmente não causa sintomas. Algumas pessoas apresentam verrugas visíveis na área dos genitais ou têm alterações pré-cancerígenas no cérvix, vulva, ânus ou pênis. Em alguns casos raros a infecção por HPV pode ocasionar câncer no ânus, vulva, vagina ou pênis.


Quais as complicações da doença?

Cancerização, que é mais freqüente na mulher, com localização em colo uterino. Nos imunodeficientes, pode haver dificuldade terapêutica, além do aparecimento de Papiloma de Laringe, que também pode ocorrer em lactentes, por contaminação no canal de parto.


 

Leia mais sobre o HPV na matéria abaixo:

 

 


Lembre-se:
A melhor  prevenção é com  a vacinação.




 

REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:


  • BULAS DAS VACINAS CONTRA HPV (LABORATÓRIO GSK E MSD);
  • MANUAL DE IMUNIZAÇÕES, (CENTRO DE IMUNIZAÇÕES HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEN) 4º EDIÇÃO;
  • GUIA PRÁTICO DE VACINAS E VACINAÇÃO DA SANOFI PASTEUR, EDIÇÃO ESPECIAL 2009;
  • SITE: http://www.dst.com.br/pag05.htm
  • GUIA PRÁTICO DE IMUNIZAÇÃO DA MULHER, 2010 DOCTORPRESS, 1º EDIÇÃO;
  • FOLDERS INFORMATIVOS DAS VACINAS CONTRA HPV DA MSD E GSK.
  • SITE: http://portal.saude.gov.br
  • MONOGRAFIA DAS VACINAS CONTRA HPV.
  • OBS: IMAGENS RETIRADAS DO GOOGLE – IMAGENS NA WEB.


AUTORIA:


REVISÃO BIBLIOGRÁFICA REALIZADA POR:

 

ENFERMEIRA ROSEVANE RODRIGUES DE LUCENA COREN – DF 176706

Revisado por: Dra. Marta de Fátima Rodrigues da Cunha Guidacci-

CRM: 7.600-DF



 

Conheça outras vacinas
Para adolescentes
Adultos e Idosos
Cólera e etec
Cólera e etec
Vacinas para Crianças
DTPa
Febre Amarela
Febre tifóide
Gestantes
Gripe
Hepatite A
Hepatite B
Meningocócicas
MMR
Mulheres
Ocupacional
Papilomavírus Humano
Pneumocócicas
Para prematuros
Rotavírus
Varicela
Vacina do viajante
 
  Alergo Vaccine - Sua família bem protegida
Centro Clínico Pacini - 715/915 Sul, Bloco D, Salas 504/508/509/514/515/517/518
Brasília -DF - 61 3345-8001 (ramal 20 - marcação de consultas, ramal 21 - vacinas, ramal 33 - administração)