Nossa ClinicaMundo das VacinasMundo das AlergiasMundo da AsmaCorpo ClinicoContato
 

O conteúdo desta página requer uma versão mais recente do Adobe Flash Player.

Obter Adobe Flash player

 
   


PNEUMOCÓCICAS

O QUE SÃO DOENÇAS PNEUMOCÓCICAS?

São infecções causadas pela bactéria Streptococcus pneumoniae, também conhecida por pneumococo e incluem: meningite, pneumonia, bacteremia (infecção na corrente sanguínea), sinusite e otite média (infecção do ouvido).

 

  • Meningite pneumocócica

É uma infecção das membranas que recobrem o cérebro e a medula espinhal causada pelo
Streptococcus pneumoniae

  • Pneumonia pneumocócica

É uma infecção dos pulmões, causada pelo Streptococcus pneumoniae, que é a causa mais comum de pneumonia bacteriana adquirida na comunidade.

  • Bacteremia pneumocócica

É uma infecção que atinge a corrente sanguínea, podendo disseminar a bactéria para outros órgãos.

  • Otite média e sinusite pneumocócica

É uma infecção do ouvido médio e dos seios paranasais,  muito comum em crianças.


Você sabia que a prevalência e a gravidade das doenças pneumocócicas é mais evidente em crianças menores de 2 anos?

Qualquer pessoa pode contrair as doenças pneumocócicas em qualquer idade, porém, é importante lembrar que as crianças com menos de 2 anos têm uma probabilidade muito maior de contrair essas doenças.
    O risco pode se agravar em crianças portadoras de determinadas doenças (por exemplo, infecções pelo HIV (Vírus da Imunodeficiência Humana), anemia falciforme e condições crônicas do coração ou dos pulmões). O Streptococcus pneumoniae é a causa mais comum de meningite, pneumonia bacteriana e otite média em crianças abaixo de 2 anos. No Brasil, a meningite pneumocócica ocorre numa freqüência 15 vezes maior em crianças abaixo de 5 anos de idade.
Pessoas acima de 65 anos e portadores de doenças crônicas como diabetes, doenças cardíacas, pulmonares ou renais, alcoolismo e certos tipos de câncer também tem maior predisposição para contrair a Doença Pneumocócica.
 


Meningite pneumocócica

Febre alta, dor de cabeça e rigidez da nuca são os principais sintomas em adultos e crianças acima de 2 anos. Em recém-nascidos e crianças até 2 anos, estes sintomas clássicos podem estar ausentes.


Pneumonia pneumocócica

Início repentino, tosse, febre, calafrios, falta de ar ou respiração rápida.


Bacteremia pneumocócica

Os sintomas costumam ser inespecíficos em lactentes e crianças mais novas. Nestes casos, muitas vezes a febre e a irritabilidade podem ser os únicos sintomas apresentados.


Otite média e sinusite pneumocócica

Dor no ouvido, agitação, febre e irritabilidade são os sintomas mais comuns em crianças. Frequentemente, a membrana timpânica mostra-se inflamada.


Como ocorre a transmissão das doenças pneumocócicas?

O pneumococo  é  altamente contagioso, pois se espalha facilmente pelo ar, em especial, de uma criança para outra. A transmissão ocorre de pessoa para pessoa pelo contato direto com quem tem a bactéria na garganta ou está doente (saliva, espirro, tosse ou beijo). Curiosamente, os portadores podem não manifestar nenhum sinal da doença, embora a bactéria esteja presente na rinofaringe (garganta). Uma forma de prevenção das doenças pneumocócicas hoje é a vacinação o mais precocemente possível.


Existe tratamento para as doenças pneumocócicas?

O tratamento de qualquer dessas doenças produzidas pelo pneumococo é com antibióticos, porém esses medicamentos apresentam uma série de limitações, por exemplo:
•    Cada vez mais é relatada a resistência das bactérias aos antibióticos;
•    Mesmo o tratamento adequado com antibióticos não consegue reduzir a letalidade da pneumonia pneumocócica.
 


VACINA CONTRA DOENÇAS PENUMOCÓCICAS (PNEUMO 10, 13 e 23 VALENTE):


Quais as vacinas existentes contra os pneumococos?

Atualmente existem três tipos de vacinas anti-pneumocócicas mais utilizadas disponíveis no mercado: a vacina polissacarídica (Pneumocócica 23-valente), vacina conjugada (Pneumocócica 10 valente) e a vacina conjugada (Pneumocócica 13 valente).


Qual a diferença entre essas vacinas?

 

A vacina Pneumocócica 23-valente não é eficaz para crianças abaixo de 2 anos de idade e pouco eficaz em crianças de outras idades. A resposta imunológica das crianças desta faixa etária não é boa, com baixa produção de anticorpos específicos, queda rápida dos seus níveis e não ocorre fenômeno de memória quando há re-exposição. Por outro lado, entre adultos, idosos e pacientes com doença de base, a eficácia é bastante satisfatória para formas graves da doença. A persistência da imunidade não é muito boa. Dependendo da presença de outras doenças (comorbidades) existe indicação de revacinação.


A vacina conjugada Pneumocócica 13-valente apresenta melhor resposta imune especialmente para as crianças menores de dois anos de idade, estimulando a produção de anticorpos nesta faixa etária, bem como um forte efeito de memória na re-exposição. Os tipos de antígenos contidos nesta vacina são aqueles relacionados com as formas mais graves de doença pneumocócica.

 

Para quem as vacinas anti-pneumocócicas estão indicadas?

A vacina anti-pneumocócica 13-valente (conjugada) é indicada para proteção de crianças entre 6 semanas e 6 anos de idade, contra os tipos sorológicos (1, 3, 4, 5, 6A, 6B, 7F, 9V, 14, 18C, 19A, 19F e 23F) da bactéria chamada Streptococcus pneumoniae, causadora de doenças pneumocócicas.

A vacinação com a vacina anti-pneumocócica 23 é recomendada para indivíduos selecionados, como segue:


Indivíduos imunocompetentes:


- Vacinação de rotina para indivíduos com 50 anos de idade, ou mais;
- Indivíduos com 2 anos de idade, ou mais, com doença cardiovascular crônica, doença pulmonar crônica, ou diabetes melito;
- Histórico de alcoolismo, doença crônica do fígado (inclusive cirrose) ou vazamento de fluido cérebro-espinhal, asplenia anatômica ou funcional, que residem em ambientes ou meios sociais especiais (inclusive nativos do Alasca e certas populações de índios americanos).


Indivíduos imunocomprometidos:


- Indivíduos com 2 anos de idade, ou mais inclusive aqueles com infecção por HIV, leucemia, linfoma, doença de Hodgkin, mieloma múltiplo, câncer generalizado, insuficiência renal crônica ou síndrome nefrótica; pacientes que receberem quimioterapia imunossupressora (inclusive corcosteróides); e indivíduos que receberam transplante de órgãos ou de medula óssea.


Quantas doses da vacina eupreciso administrar na criança para conferir imunidade para a mesma?

 ♦  Anti-pneumocócica 13 Valente:


Esquema de imunização de rotina recomendado para o uso da vacina pneumocócica 13-valente (conjugada) para lactentes de 2 meses a 6 meses, e acima de 7 meses e crianças não vacinadas previamente com a vacina pneumocócica 7-valente ou 13-valente (conjugada) na idade da primeira vacinação.

Idade na primeira dose

Série primária

Dose de reforço

2 – 6 meses

3 doses

1 dose entre 12 – 15 meses

7 – 11 meses

2 doses

1 dose entre 12 – 15 meses

12 – 23 meses

2 doses

--

24 meses – 5 anos (antes do

6º aniversário)

1 dose

--


Anti-pneumocócica 23:

A vacina anti-pneumocócica 23 valente deve ser aplicada em dose única naquelas situações em que está indicada. A necessidade de reforço 5 anos após deve ser avaliada pelo médico


A vacina pode ser aplicada com outras vacinas ou utilizando algum tipo de medicação?

A vacina anti-pneumocócica 13-valente (conjugada) e anti-pneumocócica 23 podem ser administradas com qualquer um dos seguintes antígenos de vacina, seja de modo monovalente ou em vacinas combinadas: difteria, tétano, pertussis acelular ou de célula inteira, Haemophilus influenzae tipo b, poliomielite inativada, hepatite B, meningococo de sorogrupo C, sarampo, caxumba, rubéola e varicela. Estudos clínicos demonstraram que as respostas imunológicas e os perfis de segurança das vacinas administradas não foram afetados. Não foi relatada na bula da vacina nenhuma interação com medicamentos.

 

Quem não deve receber a vacinas anti-pneumocócicas?

As vacinas anti-pneumocócica estão contra-indicada para pacientes hipersensíveis a qualquer dos componentes da vacina, incluindo o toxóide diftérico.

Posso sentir algum efeito colateral após a vacina?

Os eventos adversos mais comuns são reações locais, como dor e induração. Não foram observadas reações graves.


A vacina é de fato eficaz e segura?



É uma vacina bem eficaz confere cerca de 80% a 99% de proteção contra infecções invasivas (bacteremia, meningite). A vacina é muito segura, porém podem causar algumas reações, em geral eventos adversos locais, de intensidade leve e de curta duração





Lembre-se:

A melhor forma de prevenção é com a vacinação.




REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA:



  • BULAS DAS VACINAS ANTI-PENUMOCÓCICAS 13 VALENTE E 23 VALENTE (LABORATÓRIO WYETH E MSD);
  • MANUAL DE IMUNIZAÇÕES, (CENTRO DE IMUNIZAÇÕES HOSPITAL ISRAELITA ALBERT EINSTEN) 4º EDIÇÃO;
  • GUIA PRÁTICO DE VACINAS E VACINAÇÃO DA SANOFI PASTEUR, EDIÇÃO ESPECIAL 2009;
  • SITE: http://www.vacinas.org.br/Merck03.htm
  • SITE: http://portal.saude.gov.br
  • FOLDERS INFORMATIVOS DAS VACINAS ANTI-PENUMOCÓCICAS 13 VALENTE E 23 VALENTE (LABORATÓRIO WYETH E MSD);
  • MONOGRAFIA DA ANTI-PENUMOCÓCICA 13 VALENTE E 23 VALENTE.
  • OBS: IMAGENS RETIRADAS DOGOOGLE – IMAGENS NA WEB.

AUTORIA:


REVISÃO BIBLIOGRÁFICA REALIZADA POR:

ENFERMEIRA ROSEVANE RODRIGUES DE LUCENA COREN – DF 176706

Revisão: Dra. Marta de Fátima Rodrigues da Cunha Guidacci

CRM: 7.600-DF



Conheça outras vacinas
Para adolescentes
Adultos e Idosos
Cólera e etec
Cólera e etec
Vacinas para Crianças
DTPa
Febre Amarela
Febre tifóide
Gestantes
Gripe
Hepatite A
Hepatite B
Meningocócicas
MMR
Mulheres
Ocupacional
Papilomavírus Humano
Pneumocócicas
Para prematuros
Rotavírus
Varicela
Vacina do viajante
 
  Alergo Vaccine - Sua família bem protegida
Centro Clínico Pacini - 715/915 Sul, Bloco D, Salas 504/508/509/514/515/517/518
Brasília -DF - 61 3345-8001 (ramal 20 - marcação de consultas, ramal 21 - vacinas, ramal 33 - administração)